038 - Um poema no meio de uma pandemia.


no meio de uma pandemia

eu gostei da tua mania.

de olhar nos olhos.

me abraçar devagar.

fazer o peito bater

mesmo sem eu entender

a razão da tua chegada

o teu colo parecer morada


não podemos nos ver

estamos no meio de uma quarentena

e eu só queria

poder ser tua pequena

sentir tua pele

tua voz que acalma

o frio na barriga

ao sentir tua alma


teu cheiro predomina

quando a gente se encaixa

eu viro tua melatonina.

você descansa

e a gente não cansa

de dormir abraçado

de falar da vida

e de planos passados.


talvez no meio dessa pandemia

a gente encontre um lugar

pra crescer, curar…

ter história pra contar

e porque não, (novamente) amar?

  • quarentena


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo